Quando o leão ruge: Costa Rica, Jorge Luiz Pinto e o Grupo da morte.

Imagem

Logo após o sorteio das chaves da Copa do Mundo 2014, a imprensa já decretava o grupo D como o “Grupo da Morte”.  Nele tínhamos três campeões mundiais: Inglaterra, Uruguai e Itália ao lado da Costa Rica considerada a mais fraca das quatro seleções. Alguns já diziam: “A Costa Rica pode ter papel fundamental na classificação do grupo, quem das outras 3 seleções golear mais a seleção da América Central pode usar o saldo de gols para definir a classificação”

O colombiano Jorge Luís Pinto, treinador dos Costa-riquenhos, soube tirar proveito desse cenário e motivar sua equipe, mostrar aos seus jogadores que sim, era possível vencer os favoritos e se classificarem para a próxima fase, que por mais que ninguém acreditasse neles, eles deveriam acreditar em si mesmos e jogar dando o melhor.

Logo no primeiro jogo do grupo eles saíram atrás do Uruguai e terminaram o primeiro tempo perdendo de 1 x 0. É ai que surgi o líder, são em momentos como esse que leão ruge. Tente imaginar o clima após o final do primeiro tempo. Oque ele deve ter dito para seus jogadores no vestiário durante o intervalo? Não sabemos realmente qual foi seu discurso, mas o time voltou a campo motivado e lutando. Virou o jogo marcando 3 gols e jogando muito.

Antes de enfrentar a Itália, no segundo jogo, Jorge disse “Temos duas ou três cartas para jogar assim como no pôquer, Estamos confiantes e acho que nosso time pode melhorar em relação ao rendimento que apresentou contra o Uruguai. Aliás, temos que melhorar”.
Essa confiança foi fundamental em campo e os Costa-riquenhos venceram por 1 x 0 e se classificaram para a próxima fase antes que as seleções tidas como favoritas do grupo entrando para a história de seu país.

A Costa Rica não venceu a Copa do Mundo, mas essa equipe merece ser respeitada e seu técnico encarado como um grande líder.

Às vezes somos desacreditados, rotulados como fracos e nos encontramos em situações extremamente adversas, mas sempre teremos dois caminhos: Aceitar o que está sendo decretado para nosso futuro ou lutar para mostrar que quando se quer algo com todas as forças, não importa o tamanho do desafio, ele é possível.

O clima organizacional está ruim? Você está tendo problemas com a equipe? O nicho de mercado que atua tem uma concorrência muito agressiva? As vendas caíram e a economia está ruim? Faça com que o Leão dentro de você acorde, faça como Jorge Luís Pinto extraia o que sua equipe tem de melhor, transforme o impossível em combustível para seus motores e alcance o infinito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s